www.alvitosmartinho.maisbarcelos.pt
Imprimir esta página
HISTÓRIA

ESBOÇO HISTÓRICO DE ALVITO S. MARTINHO

 

 

 

O seu Orago é S. Martinho.

 

Segundo alguns historiadores, Alvitus é um nome próprio, gótico, e muito usado até ao século XIII, em vários documentos relacionados com o nosso país.

Esta referência já aparece nas inquirições de 1220 quando designa esta freguesia como “De Sancto Martino d`Alviti”.

Fez parte do território medieval “Terra de Neiva”, sendo o Rei possuidor de inúmeras terras.

Alvito foi uma abadia que era da apresentação da Mitra Bracarense.

Alvito –S. Martinho é banhada pelo ribeiro de Bramil que, outrora, foi força motriz para as azenhas e fonte de regadio para as suas terras.

É uma freguesia essencialmente rural, vivendo da agro-pecuária e de alguma indústria têxtil.

Lenda de S. Martinho

 

Martinho era um valente soldado romano que estava a regressar da Itália para a sua terra, algures em França.


Montado no seu cavalo estava a passar num caminho para atravessar uma serra muito alta, chamada Alpes, e, lá no alto, fazia muito, muito frio, vento e mau tempo.

Martinho estava agasalhado normalmente para a época: tinha uma capa vermelha, que os soldados romanos normalmente usavam.

De repente, aparece-lhe um homem muito pobre, vestido de roupas já velhas e rotas, cheio de frio que lhe pediu esmola.

Infelizmente, Martinho não tinha nada para lhe dar. Então, pegou na espada, levantou-a e deu um golpe na sua capa. Cortou-a ao meio e deu metade ao pobre.

Nesse momento, de repente, as nuvens e o mau tempo desapareceram. Parecia que era Verão!
Foi como uma recompensa de Deus a Martinho por ele ter sido bom.

É por isso que todos os anos, nesta altura do ano, mesmo sendo Outono, durante cerca de três dias o tempo fica melhor e mais quente: é o Verão de São Martinho.

 

O Dia de S. Martinho comemora-se a 11 de Novembro.
Neste dia, em Portugal, assam-se as castanhas e prova-se o vinho novo.

 A tradição manda que o dia de S. Martinho se festeje com castanhas, água-pé (para os mais crescidos), uma fogueira para saltar (quem quiser) e bom convívio.

  • Magusto:
    É a festa em que se assam as castanhas (que se recolhem nesta altura) e se convive. Tem a ver com o momento em que, depois da vindimas, nos meses de Setembro e Outubro, o vinho está pronto e se prova.
  • Dois provérbios:
    - No dia de S. Martinho vai-se à adega e prova-se o vinho. ou
    - No dia de S. Martinho vai à adega e prova o teu vinho.
    - No dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.
  • Assar castanhas:

    Como se preparam as castanhas para assar?
    - Molham-se (não tem que ser, mas ajuda a que o sal agarre).
    - Dá-se um golpe em cada uma (retalhar).
    - Põe-se sal.
    - Põe-se um pouco de erva-doce (dá um sabor muito bom).
    - Põem-se dentro do fogareiro (ou num tabuleiro no forno, ou no calor de uma fogueira).

    Quanto tempo demoram as castanhas a assar?
    Um quarto de hora, aproximadamente.
  • A castanha:
    A castanha é um fruto que vem de uma árvore: o castanheiro. Um conjunto de castanheiros chama-se souto.

    No norte de Portugal é que os castanheiros se dão melhor, e é de lá que vêm as castanhas para vender no País todo.

    A castanha está na árvore protegida por uma bola cheia de picos que se chama "ouriço". Quando chega o Outono, o ouriço abre e deixa cair a castanha no chão.

    Antes de a batata chegar à Europa e se espalhar por todo o lado (séc. XVII), a castanha era a base da alimentação, especialmente no campo.

    Pode cozer-se, assar-se, fazer-se em puré, fazer-se sopa com ela, doce, etc.